curso especializado com aulas práticas e teoricas com o intuito de transformar o aprendizado em cultura

Aulas

Ukulele
Ukulele

Historia do Ukulele

O nome Ukulele tem origem do Havai, ele foi dado para um instrumento chamado Manchete que foi originalmente criado na ilha de Madeira em Portugal. O Manchete é um descendente direto de outros instrumentos de cordas feitos no velho continente. Ele foi levado para o Havaí pelo barco Ravenscrag durante os anos 1800 por meio de imigrantes portugueses que mudaram para a ilha afim de trabalhar em fazendas de cana de açúcar. VEJA MAIS


Harpa Paraguaia e Celta
Harpa Paraguaia e Celta

A história da Harpa 

Existem várias histórias sobre a origem da harpa, entretanto ninguém questiona que sua origem é muito antiga e que fazia parte da alta sociedade da época.

VEJA MAIS

Notícias

Como fazer meu cérebro funcionar melhor?


Ouvir uma boa música, cantar ou tocar um instrumento é um fator que estimula seu cérebro. Quer ter boa memória? Quer ter um cérebro sempre jovem? Então, pratique música! Comece já! Ouça, toque e cante!!!
A música afeta positivamente a estrutura do seu cérebro. Ajuda no na sua comunicação, desenvolve raciocínio e te ajuda a ter pensamento rápido!
Para alguns, fazer aulas de música ajuda a relaxar. Para outros, ela espanta o desânimo. Sentando-se ao piano, tocando bateria ou pegando o violino pode-se obter uma boa diversão ou um belo desafio.
Além do prazer geral de praticar e executar, aprender e tocar música já demonstrou benefícios quando se trata de saúde mental, cognitiva e emocional.
Por exemplo, você sabia que tocar música aumenta a capacidade de memória, coordenação e pode realmente alterar a estrutura do seu cérebro?
Pessoas que estudam música são mais propensos a ter um melhor desempenho em relação a indivíduos “não-musicais”. Aprender a tocar violão, por exemplo já demonstrou benefícios físicos diretos em adultos, incluindo pressão arterial baixa, menos stress e aumento de habilidades cognitivas.
Mas o que exatamente acontece dentro da nossa cabeça quando resolvemos mergulhar no mundo da música? Como nossa mente se comporta quando aprendemos a tocar um instrumento?
A ciência por trás da música nos diz que a prática constante, de um instrumento musical, pode alterar ligeiramente a anatomia cerebral. Isso mesmo, o formato do cérebro!
Isso porque nosso sistema nervoso possui uma característica chamada “Plasticidade Neural”, que permite algumas células do nosso cérebro – os neurônios – se ajustarem a novas condições.
Praticar música também aguça todos os nossos sentidos, mas principalmente nossa audição. Facilita nossa leitura de maneira geral e desenvolve habilidades sociais, além de raciocínio lógico e memória. Sobre os efeitos da música, já despontam alguns resultados interessantes relacionados a casos de convulsões, epilepsia, Alzheimer, ansiedade e depressão.
Por causa disso, músicos e não músicos apresentam anatomias levemente distintas em algumas regiões do cérebro.
Essas habilidades sociais e de comunicação também ativam as áreas do cérebro relacionadas à linguagem, em todas as formas: escrita, falada e ouvida. Como o ato de tocar o instrumento também é um processo mecânico, o córtex motor (giro pré-central) é outra área ativada ao se tocar um instrumento. Além disso, para tocar, precisamos ler a partitura, então a luzinha também acende no córtex visual, responsável pelo processamento de estímulos visuais.
Há ainda uma área no cérebro que conecta os dois hemisférios, direito e esquerdo. Essa área se chama Corpo Caloso e também é ativada quando tocamos um instrumento, e que pode se desenvolver ao longo de anos de estudo. Por unir os lados do cérebro, essa região nos permite fazer várias coisas ao mesmo tempo, é o que nos dá a capacidade de multitarefas.
Uma surpresa e tanto para quem acreditava que usávamos só 10% do cérebro, não?


Principais Compositores da Época Romântica e suas Músicas!

Giuseppe Verdi (1813-1901)

Verdi é um compositor de música clássica consagrado e até hoje conhecido principalmente pelas suas óperas. No entanto, a sua carreira musical não começou da melhor forma. Após a sua esposa falecer e o fracasso da sua segunda ópera (Un giorno di regno), Verdi entrou em depressão e quase que desistiu de compor. Felizmente, o emissário de La Scala conseguiu convencer Verdi a escrever o Nabucco, o que acabou por se tornar num tremendo sucesso. Verdi conseguiu recuperar a sua motivação e escreveu mais obras gloriosas, tornando-se na principal figura da música clássica italiana. VEJA MAIS